Pages

sábado, 10 de julho de 2010

Retrovisor


Em mais uma segunda-feira chuvosa e corriqueira, desprovida de qualquer senso de novidade, mergulhada na mesmice do dia-a-dia. Os pingos gélidos de chuva cobriam por completo a frente do meu para-brisa. O coração aperta de repente, sendo inundado por um sentimento sem nome e sem precedente. A angústia me toma por completa, sem ao menos pedir licença.

Acelero o quanto posso, penso se ultrapasso, se o faço, nem noto. Olho pelo retrovisor, que mostras ruas, esquinas e avenidas. Me mostra o passado, o que passou e ninguém notou, mostra meus olhos refletindo lembranças, deixando claro que coisas realmente ficam para trás.

Caminhos foram escolhidos e consequências assumidas. A cobrança não é explícita, pior, é intrínseca. Acaba sendo inevitável não pensar nos caminhos que não escolhi, nas ruas por onde não andei, nos amigos que não conheci, nas bocas que não beijei e nas pessoas que não amei. Teria sido diferente?

Insegurança é reflexo, tomara que o mais brando deles, sabe-se lá o que ainda me espera.

11 comentários:

Pablo Pecoits disse...

"Caminhos foram escolhidos e consequências assumidas."
Pior que muitas vezes nem percebemos que escolhemos certos caminhos, na maioria das vezes eu diria, só vamos perceber que estamos seguindo ele quando as cosequências nos alcançam, dai já não adianta mais tentar voltar, andar mais rápido pra fugir delas, só nos resta aceitar, mais uma vez algo que aconteceu sem sabermos como...

Line #) disse...

"A cobrança não é explícita, pior, é intrínseca." Nos cobramos pelos caminhos que escolhemos, pelos caminhos que deixamos de escolher mesmo sem ter os percebido... Esse não é o primeiro texto que me passa a impressão que tu tirou de dentro de mim! Mais uma vez..parabéns!

thaisdpj disse...

Esse texto tá perfeito, parece que foi feito pra mim! A cada dia me surpreendo mais contigo!
"Teria sido diferente?" é o que eu sempre me pergunto... Acredito que o momento em que estamos passando, onde nos perguntamos "E agora, o que vai ser?", nos faz refletir muito sobre tudo que já passou, os caminhos trilhados e as consequencias que isso trará.

Camila Paier disse...

Flor, que lindo! Sinto tudo isso que você se insegura de ter vivido, ou não. E acho que é o jogo da vida mesmo, essa coisa de ir, voltar, e ficar. Olhar pra trás é consequência!
Um beeeijo Mari

Déborah Simões disse...

Oi Flor...
Amei seu blog..
Esse texto é muito lindo..
E você escreve muitoooooo..
Já virei seguidora...
bjok

Amanda Arrais disse...

O típico e inevitável "what if...".
Pude sentir as confusões da motorista. Belo texto.

=*

Déborah Simões disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ariana disse...

"Caminhos foram escolhidos e consequências assumidas"

A vida é sempre assim, as vezes nem percebemos, é a lei da vida, adorei seu blog!
Tu escreves super bem!

Beijos

Brunno Lopez disse...

Essa estrada que você dirige a sua própria vida é bem movimentada.
Acredito que a maioria dos motoristas emocionalmente desenvolvidos sempre acabam acelerando pela rodovia das dúvidas e das divagações.
As escolhas são marchas mais velozes, não existe acostamento para se mudar de ideia e salvar as curvas que fizemos com muiuta velocidade.
Mas podemos conduzir dando preferência à paisagem. O que não podemos é estacionar.

Visitei e segui.

Yohana d'Arc disse...

Vim conhecer sua página e me encantei! Bom demais de ler! :)

Anônimo disse...

Oi...

Postar um comentário